Introdução

O presente Programa do ICCA tem como escopo estimular a produção científica e a reflexão acerca das relações de gênero, fortalecendo a ideia de igualdade e evidenciando o importante papel das mulheres no Estado do ES, no Brasil e no mundo. Buscar promover a intensificação da participação das mulheres brasileiras, em especial as capixabas, em carreiras científicas.

Historicamente, a ciência sempre foi vista como uma atividade realizada por homens. Durante os séculos XV, XVI e XVII, séculos marcados por diversos eventos e mudanças na sociedade que possibilitaram o surgimento da ciência que conhecemos hoje, algumas poucas mulheres aristocráticas exerciam importantes papéis de interlocutores e tutores de renomados filósofos naturais e dos primeiros experimentalistas.

Não obstante suas qualidades e competências, não lhes era permitido o acesso às intensas e calorosas discussões que aconteciam nas sociedades e academias científicas, que se multiplicaram no século XVII por toda a Europa e tornaram-se as principais instituições de referência da ainda reduzida comunidade científica mundial.

A mudança nesse quadro inicia-se somente após a segunda metade no século XX, quando a necessidade crescente de recursos humanos para atividades estratégicas, como a ciência, o movimento de liberação feminina e a luta pela igualdade de direitos entre homens e mulheres permitiram a elas o acesso, cada vez maior, a educação científica e a carreiras, tradicionalmente ocupadas por homens.

Este Programa do ICCA objetiva estimular a produção científica e a reflexão acerca das relações de gênero, mulheres e feminismos no Estado do ES, além de promover a participação das mulheres capixabas em carreiras científicas.